A educação em tempos de pandemia

A realidade da educação, que estamos vivenciando nos dias atuais é desesperadora. Ela está em tempos de retrocesso e crise, na qual o mundo inteiro está passando e nos impulsiona a buscarmos novas ferramentas e metodologias para proporcionar ainda que seja remota, a busca de soluções para que a educação continue a cumprir o seu papel na sociedade.

O cenário que vivenciamos no atual momento: 

Todo o mundo em quarentena, isolamento social, trabalhos remotos (home office). A maioria dos locais de grande circulação estão fechados para evitar as aglomerações.

Trabalhadores da arte, pessoas em situação de rua, carrinheiros e recicladores: a população mais vulnerável e empobrecida está passando por muitas dificuldades financeiras, falta: alimentação, trabalho e medidas realmente emergenciais do poder público para auxiliá – los.

E  a atual realidade do Coronavírus, batendo à nossa porta. O Brasil bate recorde de registros em 24 horas com 407 mortes por coronavírus e 3.735 casos confirmados no dia 24 de abril de 2020. Além disso, o crescimento das situações da violência doméstica e o abuso infantil já estão nas estatísticas.

E a Educação como está?

Há escolas que se adaptaram utilizando ferramentas EAD e aplicativos de mídias para continuarem sua tarefa de educar, devido a pandemia. Porém, esta solução que aparenta ser a possível, não pode substituir as aulas presenciais, não pode ser transformada num período normal de aulas. A maioria das crianças e jovens encontram – se isoladas em suas casas, preocupadas, vivendo um cotidiano que não seria o natural. Com suas famílias tentando fazer além do seu papel, ainda terem que substituir o papel da escola, tendo que trabalhar remotamente, ou até mesmo com seus responsáveis que não foram alfabetizados e muito menos passaram pelo processo do letramento.

Jovens no último ano do ensino médio, estudando em cursinhos populares, que sonhavam com sua inserção nas universidades por meio do ENEM ou vestibulares, estão numa situação de desinteresse, despreparo e tristeza. Por não conseguirem o acesso necessário, que os qualifique para concorrer às vagas universitárias.

As teleaulas e o ensino a distância para esta situação de isolamento domiciliar é bastante preocupante, pois exige muitos esforços, mudanças de comportamentos, sentimentos e experiências, muitas vezes, de descobertas que podem gerar muitas frustrações. Ao invés de promover metodologias e reflexões mais sustentáveis e inclusivas.

Ninguém sabe ao certo o que poderá acontecer daqui a algum tempo. O confinamento permanece para os estudantes, isto não é um período normal para nenhum ser humano. Em especial para nossas crianças e jovens!

O reducionismo é tão categórico e favorável ao EAD, como se fosse a melhor modalidade educacional, para milhões de crianças e jovens. Desmerecendo as realidades da grande parte das famílias brasileiras e suas condições materiais de sobrevivência e acesso à internet. O que aumenta a desvalorização e a falta de investimentos para os professores e o sucateamento do sistema público de ensino.

Negando o direito a uma educação de qualidade e promotora da criticidade, da liberdade de se expressar e que promove o exercício da cidadania ativa e com isso, o papel social da educação.

Texto elaborado por Cristina Silveira de Oliveira

Revisado por Roseane Moreira

Olá, eu sou Cristina Silveira de Oliveira. Sou pós graduada em escolas restaurativas com ênfase em direitos humanos. Atualmente trabalho com ensino profissionalizante. Coordeno a pastoral afro brasileira no Paraná e sou conselheira municipal do Conselho da igualdade étnico racial de Curitiba.

Este post tem 2 comentários

  1. Fernando Penteado

    O texto é 0timo, mas esta como todos os outro em se tratando de corona vírus, é difícil vermos um texto que além de trazer os informes das mortes, tambem trazer os números das pessoas que foram curadas. Mas isto não tira o forte conteúdo esclarecedor sobre o isolamento e as transformações sócias na vida de todos nós.

  2. Zenaide Motta

    Parabéns pela análise Cristina! Excelente trabalho!!!

Deixe uma resposta